Vidas

Descobri um simples museu do mineiro em São Pedro da Cova. Lá dentro, peças dispostas pelos quatro cantos de uma sala grande narram a história dos muitos que trabalharam na extracção do minério.

Numa mesa já com caruncho, fotografias tipo passe estão alinhadas e coladas a um grande cartão. Escrito à mão e por baixo de cada uma, o nome de cada operário ou operária. Olho nos olhos de cada retrato e sinto a tentação de saber que vida está por de trás de cada imagem. Como o sr. José, personagem do livro Todos os Nomes de José Saramago. Alucinado, obcecado. Como uma travagem repentina, os meus olhos param num rosto. Uma criança. E mais uma. E outra. E ali uma menina. Crianças operárias que não riam para a máquina fotográfica. Não iam à escola. Iam para as minas. Não brincavam. Trabalhavam.

Na SIC está a passar o segundo episódio da série A vida privada de Salazar. Senti vergonha.

adriano-miranda3

2 comments

  1. Sou neto de gente dessa, não nas minas mas na metalurgia. E que respeito e honra eu tenho ao afirmá-lo.
    …………………………
    Este espaço está bonito!
    pf

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s