Fotojornalismo Mata

Quando se pergunta a um fotógrafo o que fotografou pela última vez e ele já não se lembra, algo está mal. Pois assim estou eu. Já não sei o que é máquina fotográfica há mais de um mês.

Seria um grande mentiroso se dissesse que estou à beira da depressão por tal facto. Verdadeiramente não estou. Mas também não estou contente. A fotografia faz-me falta.

Não sou um fotógrafo compulsivo, que quer para onde vá leve sempre a máquina atrás. Também é bom ver o mundo com outros olhos. Já lá vai o tempo em que fotografava por puro prazer. Velhos tempos em que passava o tempo a pensar e a desenhar projectos. Alguns, com algum sucesso, deixando a modéstia de lado.

Agora fotografo por obrigação, e para não enganar o leitor deste post, o prazer quase sempre não existe. O fotojornalismo mata fotógrafos. Pelo menos o nosso fotojornalismo.

Quando me apaixonei pela fotografia nunca pensei ser fotojornalista. Aconteceu e aqui estou. Digamos que foi um casamento por conveniência. Não posso dizer que tem sido uma experiência má, bem pelo contrário. Simplesmente por dois motivos. A minha honestidade e o local onde trabalho. Mas isso não me impede de sentir que estou a cristalizar. E aqui vem o lado mais negro do fotojornalismo, o que mata.

Rotineiro, com truques, sempre com as mesmas linguagens, sempre das mesmas maneiras e sempre os mesmos assuntos. Sem se dar conta, o fotojornalista quando perde o encanto inicial do romantismo inerente à profissão, começa a ser uma máquina por detrás da máquina.

E se este retiro forçado que uma dor súbita me provocou, tem servido para alguma coisa, essa coisa é pensar para onde vou e se quero ir. Deixar de ser fotógrafo não deixarei.

Ainda não é desta que o pano vai correr.

4 comments

  1. Como eu me revejo neste texto…
    E provavelmente muitos outros profissionais com vontade de serem amadores, sendo amador aquele que “faz por amor”.
    Um abraço de melhoras.

  2. ainda vejo o fotojornalismo sem os truques fáceis e as rotinas. acredito que seja o início e temo que caia mais cedo ou mais tarde nesse ciclo de que falas. mas sabes que há por aqui quem veja o teu trabalho e aprenda com ele?

    melhoras rápidas!

    **

  3. acho que passado algum tempo começamos todos a partilhar esses sentimentos.Por mim ainda vou tentando fazer alguma coisa que me dê prazer na fotografia.Mas não é fácil.
    As melhoras e um grande abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s