Alfredo

O encontro estava marcado junto à praia. Foi lá que pela primeira vez apertei a mão ao colega Alfredo Mendes. Caminhámos junto ao mar e fiquei a saber como  neste país se descarta um trabalhador.

Alfredo tinha a mágoa na voz e a revolta no olhar. Num minuto foi despedido. Fora do gabinete do director adjunto, como os condenados que se encostam à parede de olhos vendados, os trabalhadores iam sendo chamados um a um. Verdadeira lotaria. Uns ouviram o seu nome outros não.

Muitos foram despedidos. Porquê Alfredo? Não sei!

Alfredo Mendes era jornalista do Diário de Notícias há 32 anos. Com ele a Controlinveste despediu mais 121 trabalhadores de uma forma injusta, imoral e desumana.

Caminhando ao sabor do vai e vem das ondas, o injustiçado olha para a minha objectiva e  sinto que em cada fotograma que faço construo um pedaço de um espelho. Alfredo, a que horas chegará o meu minuto?

400asas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s