A mesa global

Ontem comi bacalhau com grão. Ao sentir o gosto intenso do azeite fui ver a sua origem. Era português. Olhei para a mesa da cozinha e lembrei-me que é italiana. Levantei o prato e vi que era espanhol. As batatas eram chilenas e o grão português. Os ovos eram da minha capoeira. O sumo dos meus filhos era polaco e o meu café colombiano. As maçãs eram francesas e os morangos espanhois. Levantei a toalha que era do vietname e coloquei toda a loiça na máquina de lavar que é alemã. Para aconchegar o estômago comi uma bolachita que era checa e deitei para o lixo alguns dentes de alho que eram, imagine-se, chineses!!

Alhos de uma qualquer cooperativa de produção socialista da popular china, comprados numa qualquer grande superfície de um portugal capitalista. Sentei-me no sofá a pensar na porra dos alhos e vi com os olhos em bico, José Sócrates na Rússia com uma foice e um martelo por trás e Jerónimo de Sousa de gravata na Grande Entrevista.

Não admira que os alhos sejam chineses!

bloggg.jpg

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s