O Lápis

 “As instalações onde os 27 funcionários se movimentam são do início do século passado.

A beleza da Viarco também reside nas salas decoradas por envidraçados móveis de madeira antigos, nas bancas e instrumentos de trabalho de década e década de produção”.

Excerto do texto de Sara Dias Oliveira, Público 29 de Maio de 2007

02.jpg 01.jpg 03.jpg 04.jpg 06.jpg 08.jpg 10.jpg 12.jpg 13.jpg 14.jpg 15.jpg 1n.jpg 7n.jpg nova.jpg

3 comments

  1. Por quanto tempo mais sobreviverão à pressão da industrialização, mecanização e das chapas de alumínio bonitas a toda a volta da fábrica? Quanto tempo mais durará essa beleza suja e antiquada que só a indústria humanizada (ainda que obsoleta na maior parte dos caros) pode transmitir?

    Tive há dias, uma sensação parecida quando entrei numa loja de “coisas” ali para os lados dos Clérigos. Devia ser uma antiga loja de retalho, daquelas enormes, que mais pareciam uma central de camionagem. Tinha “guichets” para tudo e mais alguma coisa desde encomendas até pagamentos, a cabine do contabilista e as máquinas das dactilógrafas.

    A decoração era avassaladora e soberba, exemplo exímio da mestria do carpinteiro que lhe deu forma. Deu-me uma nostalgia invulgar, do alto dos meus 26 anos, eu que nem sequer naquela época vivi…

    E chega de blá blá….
    Gostei muito dos registos Adriano! As senhoras da Viarco devem estar todas orgulhosas!

    Cumprimentos
    André (Gráficos Público Porto… ás vezes!)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s